Do papiro ao e-book [parte 1]

17 de março de 2012

Continuando o assunto da "evolução" do livro que eu comecei nesse post, hoje vou falar que materiais foram utilizados depois do uso da pedra, argila e madeira para se escrever na Antiguidade.


Papiro

O papiro foi o primeiro material produzido pelo homem a partir de fibras vegetais. Foi o papiro que forneceu à humanidade um dos principais instrumentos do progresso: o papel.

Foi por volta de 2500 a.C. que os egípcios desenvolveram a técnica de fabricar folhas de papiro, considerado o precursor do papel. O papiro era encontrado nas margens do rio Nilo.
Para confeccionar o papiro, corta-se o miolo esbranquiçado e poroso do talo em finas lâminas. Depois de secas, estas lâminas são mergulhadas em água com vinagre para ali permanecerem por seis dias, com propósito de eliminar o açúcar. Outra vez secas, as lâminas são ajeitadas em fileiras horizontais e verticais, sobrepostas umas às outras. A seqüência do processo exige que as lâminas sejam colocadas entre dois pedaços de tecido de algodão, sendo então mantidas e prensadas por seis dias. E é com o peso da prensa que as finas lâminas se misturam homogeneamente para formar o papel amarelado, pronto para ser usado. O papiro pronto era, então, enrolado a uma vareta de madeira ou marfim para criar o rolo que seria usado na escrita.

Este papel (papiro) era utilizado pelos escribas egípcios para escreverem textos e registrarem as contas do império. Vários rolos de papiro, contando a vida dos faraós, foram encontrados pelos arqueólogos nas pirâmides egípcias.

O papiro tinha outras funções no Egito Antigo. Os artesãos utilizavam a planta para a fabricação de cestos, redes e era também utilizado como alimento pelas pessoas mais pobres e também para alimentar o gado.

Como papel ele foi adotado pelos gregos, romanos, coptas, bizantinos e árabes. Grande parte da literatura grega e latina chegou até nós em papiros. Ele continuou a ser utilizado até a Idade Média.

Muitos papiros ainda existem em museus. Uma parte do papiro Rhind foi depositado no Museu Britânico, em Londres. Ele fala sobre matemática (informações sobre aritmética, frações, cálculo de áreas, volumes, progressões, repartições proporcionais, regra de três simples, equações lineares e trigonometria básica).










Pergaminho

É o nome dado a uma pele de animal, geralmente de cabra, carneiro, cordeiro ou ovelha, preparada para nela se escrever. Designa ainda o documento escrito nesse meio. O seu nome lembra o da cidade grega de Pérgamo, na Ásia Menor, onde se acredita que possa ter se originado ou distribuído.

Quando feitos de peles delicadas de bezerros ou cordeiros, eram chamados de velino. Estas peles davam um material de escrita fino, macio e claro, usado para documentos e obras importantes.

Nos mosteiros cristãos eram mantidas bibliotecas de pergaminhos, onde monges letrados no período se dedicavam à cópia de manuscritos antigos, devendo-se a essa atividade monástica a sobrevivência e divulgação dos textos clássicos da cultura grega e latina no Ocidente, principalmente à época do Império Bizantino.


Códice (ou Codex)


O códice (ou codex, da palavra em latim que significa "livro", "bloco de madeira") é um livro manuscrito, em geral do período da Antiguidade tardia até a Idade Média.

É um avanço do rolo de pergaminho e gradativamente o substituiu como suporte da escrita.

O códice foi o modelo preliminar do livro moderno. Era composto de folhas que eram dobradas, agrupadas e amarradas ao longo da dobra. As páginas eram escritas em ambos os lados e protegidas por uma capa. Os primeiros códices não se pareciam muito com os livros de hoje, mas assim como acontece com a maioria das invenções, o códice foi modificado e adaptado de acordo com as necessidades e preferências daqueles que o usavam.

Pelas vantagens oferecidas pelo códice, tais como a praticidade para manusear, mais fácil de carregar, cabia mais informações, era mais econômico pois podia-se escrever nos dois lados da folha e juntar vários livros no mesmo volume e segundo algumas pessoas, a facilidade com que trechos específicos podiam ser localizados no códice foi fundamental para sua aceitação entre cristãos e certos profissionais, como advogados. Além disso, o códice tinha uma capa, geralmente de madeira, o que o tornava mais durável que o rolo.

- O códice contribuiu muito para a distribuição da Bíblia.


17 comentários:

  1. Muito legal seu texto sobre a evolução da escrita - uma vez que o papel é parte fundamental disso.

    A propósito, vc chegou a ver reportagem sobre o Codice gigasa? Muito interessante, e tem váaaaaaarias lendas sobre ele. Vale super a pena ler a rspeito.

    Beijos e boa semaninha

    Julia
    http://letrinhasinquietas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse post me lembrou O Código Da Vinci haha
    Adoro!

    Antes do word, veio o papel HAHAHAHA

    Pois é eu tinha essa manina de clubinho com minhas primas quando eu era mais nova, mas não dava muito certo não.
    Até casa na árvore nós tentamos ter HAHAHA

    beijos e bom final de domingo
    NANA - OBSESSION VALLEY

    ResponderExcluir
  3. Adorei esse seu post, li o anterior também. É muito legal conhecer essa evolução mais a fundo, sobre como foi e os materiais utilizados, muito legal msm!

    Beijos
    @PollyanaCampos
    entrelivrosepersonagens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. que interessante! é muito bom saber desse tipo de coisa. de certa forma, livro continua sendo artigo de luxo (até pq poucos têm disposição ou cabedal para lê-los) mas (ainda bem!) se populariza mais a cada dia. parabéns pelo post e pela ideia :D

    ResponderExcluir
  5. Muito legal saber disso tudo :)
    Beeijo

    http://besidesthebasic.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que coisa legal essa que esta fazendo, mostrante a evolução do livro
    Uma curiosidade bem interessante
    Meus parabéns

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. eu adoro essa historia dos livros é muito interessante, não podemos esquecer de como era e como é. Seguindo.

    ResponderExcluir
  8. Ah, eu sou muuuuito viciada em séries, mas parei um pouco agora e estou me atualizando nas que eu estou atrasada. Eu nunca acompanhei uma pela tv, eu sempre acompanhei pelo computador.

    Eu adoro esses seus posts. ADORO.

    Beijão. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  9. Oi Raquel!
    Adorei esse post, um assunto bem interessante e bacana de abordar. Parabéns, esperando pela segunda parte ;)

    Tem promoção de Páscoa lá no blog, não deixe de conferir :D

    Beijos, Kamila
    http://vicio-de-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ai que legal, nunca tinha ouvido falar do códice!
    Nossa, achei muito interessante mesmo fazer um post assim, parabéns!
    E também não sabia que o papiro foi inventado assim cedo, 2500 a.C.
    Bem legal o post, parabéns!


    Beijoss
    Thaís - Berchim e etc

    ResponderExcluir
  11. Ai, adoro esse momento história, sério mesmo! A gente acaba sabendo sobre coisas que jamais pensaríamos em saber se fosse por nossa própria procura! :D Obrigada por compartilhar esse conhecimento com a gente! ;)

    Beijos!
    http://livrosnacabeca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Interessante isso. Eu já conhecia a história do papiro e do pergaminho, mas não conhecia a do códice. Sabia o que era visualmente, mas não exatamente. Já vi um papiro "de verdade". Parecem frágeis, mas não são tanto. É algo bonito de ser visto.
    Adoro esse tipo de postagem que conta coisas de história. Sou fascinada por história. *-*
    Seu blog é muito bonito e organizado. Gostei bastante do banner.
    Bjo!

    http://miasodre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. É impressionante como uma coisa banal de nosso dia-a-dia vem de tão longe. Acho super interessante esse tipo de curiosidade, ver como os povos antigos supriam suas necessidades de maneira tão inteligente. Acho o codex muito bonito, com suas letras trabalhadas e ilustrações, é incrível. =]
    Ótimo post! Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Aaah eu não sabia essas coisas sobre o pergaminho...
    Foi bom conhecer isso...
    Interessante o post =]

    Beijos.
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir
  15. Pois é, eu tenho muito medo de ler livros sobre perdas pois eu mesma tenho muito medo das perdas que a vida pode nos dar como surpresa :// Não gosto de ficar muito deprimida por causa disso. Tento me focar em coisas que me deixam feliz e aproveitar cada momento como se fosse o último.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  16. Oi Raquel, muito legal esse post. Adoro conhecer um pouco sobre antiguidade, e falando sobre algo que adoramos, como o livro, torna tudo ainda mais atraente. Já tinha ouvido falar da maioria dos itens que você citou, mas achei curioso o códice, que nunca tinha visto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Adorei ler esse post! Muito informativo! Estou seguindo seu blog!
    bjaooo

    ResponderExcluir

Postar um comentário